Boas práticas de volta ao trabalho em escritórios de pequeno porte (comércio e serviços de 10 a 49 funcionários)

Sabe-se e experimenta-se diariamente as mudanças, nos diversos âmbitos do cotidiano, trazidas pela pandemia da COVID-19 (doença causada pelo coronavírus). Essa nova forma de viver que estabelece cuidados, ações de higiene e saúde e que transforma as relações sociais, também apresentará impactos relevantes quando a volta das atividades for indicada, no que se chama de afrouxamento da quarentena.

Os serviços públicos e as atividades essenciais considerados indispensáveis como: assistência à saúde, assistência social, atividades de segurança pública e privada, transporte intermunicipal, interestadual e internacional de passageiros e o transporte de passageiros por táxi ou aplicativo, telecomunicações e internet, captação, tratamento e distribuição de água, captação e tratamento de esgoto e lixo, dentre outros, não pararam, entretanto, muitas outras atividades tiveram suas jornadas diminuídas, até mesmo paralisadas ou transformadas em atendimento remoto (home office).

Diante desse contexto, é importante entender que, com a volta paulatina de tais atividades não essenciais, novos procedimentos dentro dos ambientes de trabalho se tornam necessários para minimizar as formas de transmissão do vírus. Lembra-se que a transferência dele acontece de uma pessoa doente para outra ou por contato próximo por meio de:

  • Toque do aperto de mão;
  • Gotículas de saliva;
  • Espirro;
  • Tosse;
  • Catarro;
  • Objetos ou superfícies contaminadas, como celulares, mesas, maçanetas, brinquedos, teclados de computador etc.

Assim, pensando na volta ao trabalho em escritórios de pequeno porte, lista-se abaixo as medidas, boas práticas, que tais estabelecimentos devem adotar para minimizar os modos de transmissão da doença.

As sugestões e recomendações estão descritas conforme os setores da empresa:

1. Recepção

  • Disponibilizar na entrada do estabelecimento e em outros lugares estratégicos de fácil acesso, álcool em gel 70% para utilização de funcionários e clientes;
  • Assegurar que os clientes somente adentrem o estabelecimento com o uso de máscara;
  • Providenciar cartazes com orientações e incentivos para a correta higienização das mãos.

2. Sala de reuniões:

  • Manter locais de circulação e áreas comuns com os sistemas de ar condicionados limpos e, obrigatoriamente, manter pelo menos uma janela externa aberta ou qualquer outra abertura, contribuindo para a renovação do ar.

3. Copa/cozinha:

  • Deverá ser respeitada, nas áreas de consumação de alimentos destinadas aos empregados/funcionários, a ocupação máxima de 4 (quatro) pessoas por mesa e a distância mínima linear de 2 (dois) metros entre as mesas.

4. Sanitários:

  • Higienizar, quando do início das atividades e durante o período de funcionamento, com intervalo máximo de 3 (três) horas, os pisos e banheiros, preferencialmente com água sanitária;
  • Manter disponível kit completo de higiene de mãos nos sanitários de clientes e funcionários, utilizando sabonete líquido, álcool em gel 70% e toalhas de papel não reciclado.

5. Mesas/estações de trabalho:

  • Higienizar, quando do início das atividades e após cada uso, durante o período de funcionamento, as superfícies de toque;
  • Os funcionários devem ser orientados a intensificar a limpeza das áreas (pisos, ralos, paredes, teto, etc.) com desinfetantes próprios para desinfecção, com álcool 70%, de superfícies e utensílios frequentemente tocados como: maçanetas, mesas, balcões, corrimões, interruptores, elevadores, balanças, entre outros;
  • Garantir aos funcionários o uso de máscaras, de pano ou descartáveis, devendo a troca ser realizada a cada período de trabalho ou sempre que tornar-se úmida ou apresentar sujidades.

6. Manuseio de papéis/documentos internos, equipamentos de trabalho comunitários, telefones celulares, copiadora, etc:

  • Os dispensadores de água que exigem aproximação da boca para ingestão, devem ser lacrados em todos os bebedouros, permitindo-se o funcionamento apenas do dispensador de água para copos. Os estabelecimentos deverão fornecer copos descartáveis aos clientes e funcionários. Também é permitido copos ou canecas não descartáveis, desde que seja de uso individual;
  • Promover com maior frequência, a higienização de objetos, superfícies e equipamentos de trabalho, compartilhados ou não, onde haja possibilidade de contato com as mãos ou outras partes do corpo (mesa, telefone, teclado, ferramentas, botões, alavancas, corrimões, maçanetas, bancadas, torneiras, equipamento sanitário, etc.), utilizando detergente neutro, seguida de aplicação de solução de álcool 70% ou outros desinfetantes, conforme o material permitir;
  • Evitar o compartilhamento de objetos pessoais de trabalho, tais como fone de ouvido, headsets, celulares, canetas, lápis, copos, vasilhas e outros objetos.

7. Recebimento e despacho de documentos envolvendo contato físico:

  • Uso de álcool em gel após manusear objetos tocados por outras pessoas, como dinheiro, papéis, ferramentas, caixas, pastas, entre outros.

8. Distanciamento social no ambiente interno de trabalho: mesas, cadeiras, bate papo de corredor etc.:

  • Reorganizar a jornada de trabalho, proporcionando o distanciamento social recomendado, com distância maior que 1 metro entre as pessoas;
  • Seguir os planos de contingência recomendados pelas autoridades locais, tais como permitir a ausência no trabalho, implantar escalas diferenciadas, adotar trabalhos em turnos, reduzir a força de trabalho necessária, permitir a realização de trabalhos a distância, dentre outras formas que possam evitar a aglomeração de pessoas no local de trabalho;
  • Não utilizar adornos (anéis, pulseiras, relógios, colares, piercing, brincos) durante a realização dos procedimentos de limpeza;
  • Manter os cabelos presos, barba feita ou aparada e protegida, unhas limpas e aparadas; os calçados devem ser fechados e impermeáveis; lembrar que o uso de luvas não substitui a higiene adequada das mãos com água e sabão; o uso de álcool gel 70% é pertinente após higiene adequada das mãos.

9. Balcão de órgãos públicos:

  • Fazer o uso de máscaras, de pano ou descartáveis. Exigir o uso da mesma pelos técnicos do atendimento ao público;
  • Higienizar balcões, bancadas, telefones fixos/móveis e outros itens de uso comum, com álcool 70% ou diluição de hipoclorito de sódio a 2%, em intervalos mínimos de 30 minutos;
  • Organizar as filas nos balcões de modo a manter distância mínima de segurança de 1,5 metros entre os clientes;
  • Evitar aglomerações e longa permanência nos estabelecimentos, mantendo distância de no mínimo 1,5 metros de outras pessoas, inclusive nas filas;
  • Uso de álcool em gel após manusear objetos tocados por outras pessoas, como dinheiro, papéis, ferramentas, caixas, pastas, entre outros.

Fontes

  • Nota – Centro de Vigilância Sanitária do Estado de São Paulo – Recomendações para prevenção da infecção por coronavírus (COVID-19) em ambientes de trabalho. Disponível em: http://www.cvs.saude.sp.gov.br/cvs.asp e http://cvs.saude.sp.gov.br/up/Nota_Inform_Amb_Trabalho.pdf
  • SÃO JOSÉ DO RIO PRETO (município). Decreto nº 18.586, de 15 de abril de 2020, Altera as disposições do Decreto nº 18.571, de 24 de março de 2020. Abril de 2020. Disponível em: https://leismunicipais.com.br/a2/sp/s/sao-jose-do-rio- preto/decreto/2020/1859/18586/decreto-n-18586-2020-altera-as-disposicoes-do-decreto-n- 18571-de-24-de-marco-de-2020
  • Cartilha – “Tem dúvidas sobre o coronavírus? – o Ministério da Saúde te responde!” – Ministério da Saúde. Disponível em: https://www.saude.gov.br/images/pdf/2020/April/07/Cartilha-Coronavirus-Informacoes-.pdf

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *