Boas práticas de volta ao trabalho no varejo, bancos e lotéricas

De modo geral os estabelecimentos comerciais e prestadores de serviços, tiveram suas atividades suspensas, parcialmente interrompidas ou até alteradas para o modelo de teletrabalho, diante do contexto de pandemia da COVID-19 (doença causada pelo coronavírus). Exemplos disso são os shoppings, as lojas de rua, o varejo não considerado atividade essencial. Sabe-se, por outro lado, que os serviços públicos e as atividades essenciais considerados indispensáveis não pararam, como bancos e lotéricas, por exemplo.

É importante que todos os estabelecimentos, considerados essenciais ou não, se assegurem e busquem estar licenciados diante dos órgãos competentes para que a suas atividades, instalações e edificações possam funcionar de acordo com o que é exigido legalmente. São exemplos de alvarás e licenças necessárias para estabelecimentos comerciais: Habite-se ou Certificado de Conclusão, Licença de Funcionamento, Certificado de Aprovação do Corpo de Bombeiros (AVCB/ CLCB), Licenças Sanitárias, Licenças de Instalação e Operação, Certificado de Acessibilidade, dentre outros. Estar irregular diante das exigências legais, com a documentação defasada, pode custar ao proprietário e empreendedor o fechamento do seu estabelecimento e o pagamento de multas.

De todo modo, a nova forma de viver que o coronavírus coloca requer cuidados, ações de higiene e saúde. Todo esse novo contexto, também apresentará impactos relevantes quando a volta das atividades for indicada. Para os estabelecimentos que não pararam ou estão com suas atividades parcialmente em desenvolvimento, assim como aqueles que voltarão ao seu funcionamento quando indicado, novos procedimentos dentro dos ambientes de trabalho se tornam necessários para minimizar as formas de transmissão do vírus.

Seguem abaixo as recomendações, medidas e boas práticas que estabelecimentos comerciais e prestadores de serviços, bancos e lotéricas devem adotar para minimizar os modos de transmissão da doença.

As sugestões e recomendações estão descritas por tipo de estabelecimento:

1) Varejo:

  • Evite saudações com contato físico, como aperto de mão, beijo ou abraço;
  • Utilização de máscaras, de pano ou descartáveis, por clientes e funcionários;
  • Disponibilize álcool gel 70% e instalação de equipamentos dispensadores do produto nos estabelecimentos, para uso de funcionários e clientes;
  • Orientar funcionários sobre os cuidados ao tossir e espirrar e sobre a lavagem correta das mãos, contemplando as palmas, os dorsos, dedos e até os punhos;
  • Fixar cordão de isolamento, na área de pagamento (ou no balcão de atendimento), para o comércio em geral mantendo a distância de 1,50 m (um metro e meio) entre o cliente e o atendente;
  • Planeje um escalonamento de horários entre os funcionários para evitar que eles sejam expostos às aglomerações nos horários de picos em terminais de ônibus;
  • Funcionários com suspeita de vírus devem ficar em isolamento imediato em suas residências. Durante esse período é importante que a empresa adote uma política de atestados mais flexível;
  • Estimule o trabalho home office e substitua reuniões presenciais por videoconferências. Caso esses encontros não possam ser virtuais, selecione poucos participantes e mantenha a distância de 1,50 m (um metro e meio) entre eles.

2) Bancos e Lotéricas:

  • Disponibilizar na entrada do estabelecimento e em outros lugares estratégicos de fácil acesso, álcool em gel 70% para utilização de funcionários e clientes;
  • As instituições financeiras também precisam fornecer Equipamentos de Proteção Individual (EPI) para os funcionários. É imprescindível o uso de máscaras, de pano ou descartáveis. Exigir o uso das mesmas pelos técnicos do atendimento ao público e assegurar que os clientes somente adentrem o estabelecimento também utilizando;
  • Se o colaborador for trabalhar diretamente com dinheiro, ele deve lavar suas mãos após manuseio e evitar levá-las ao rosto;
  • Aumentar o número de caixas em funcionamento, dividindo o atendimento por vulnerabilidades;
  • Fixar horários reservados para atendimento de idosos e da população incluída em outros grupos de risco, providenciando, ainda, acesso privativo e terminais de atendimento diferenciados destinados a tais pessoas;
  • Dar prioridade no atendimento, principalmente no que se refere aos atendimentos relativos aos programas sociais;
  • Aumentar o horário de funcionamento em no mínimo 2 horas, especialmente em dias de recebimento de salários;
  • Disponibilizar canais alternativos de agendamento de atendimento, como forma de evitar aglomerações no interior das agências;
  • Suspender temporariamente o uso da biometria;
  • Buscar realizar parcerias com as autoridades e órgãos de trânsito, a fim de auxiliar na organização das filas nas imediações das agências bancárias, com o objetivo de evitar aglomerações;
  • Adotar as medidas necessárias para adequar à disposição das filas e promover o distanciamento mínimo de 1,50 m (um metro e meio) entre as pessoas, durante o período de espera, bem como no próprio atendimento, inclusive com a distribuição de senhas e fichas (ou outro método, como colocação de fitas, cones, etc.), para fins de evitar e reduzir aglomerações;
  • Organizar as filas, mesmo que estejam nas calçadas, com distanciamento de pelo menos 1,50 m (um metro e meio) entre um cliente e outro. A organização também deve permitir que as demais pessoas circulem pela calçada;
  • Às casas lotéricas, recomenda-se que o atendimento prioritário seja para operações que não incluam jogos e apostas; estas atividades devem ser feitas em horário especial e com atendente exclusivo para o serviço;
  • Proibir reuniões com mais de cinco pessoas e praticar horários de almoço escalonados (quando há refeitórios). Em alguns casos, viabilizar o controle da temperatura toda vez que um funcionário entra nas dependências da empresa;
  • Manter locais de circulação e áreas comuns com os sistemas de ar condicionados limpos e, obrigatoriamente, manter pelo menos uma janela externa aberta ou qualquer outra abertura, contribuindo para a renovação do ar;
  • Higienizar balcões, bancadas, telefones fixos/móveis e outros itens de uso comum, com álcool 70% ou diluição de Hipoclorito de sódio a 2%, em intervalos mínimos de 30 minutos.

Fonte:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *