Quatro exemplos de recursos acessíveis que se destacam no país

Cerca de 24% da população brasileira, o que equivale a 45 milhões de pessoas, têm algum tipo de deficiência, segundo dados do último Censo do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Desse total, 25 milhões necessitam de cadeira de rodas para se locomover.

Ao contrário de cidades da Alemanha, Japão e América do Norte, no Brasil, as pessoas com deficiência ainda têm muita dificuldade para se deslocar, só para tomar como base este exemplo, afirma a Arq. Maria Thereza Moreira, diretora da Soluções Regularização Imobiliária.

“é uma questão cultural. Até a pouco tempo atrás, o Brasil ainda era considerado um país jovem. Agora, a sociedade começa a envelhecer e passa a entender a importância de se transformar e criar condições para idosos e pessoas com deficiência”

A conscientização é o primeiro sinal de que as cidades brasileiras caminham rumo a mudanças, ainda que muito tímidas, o que já é motivo para celebrar nesta terça-feira (05), quando é comemorado o Dia Mundial da Acessibilidade. A data também reforça a importância da Lei nº10.098, a Lei de Acessibilidade, que em dezembro completa 17 anos. A lei obriga o poder público a garantir condições de acessibilidade em todo o transporte, calçadas e travessias. Embora, ainda engatinhe neste assunto, o Brasil já tem bons exemplos de recursos de acessibilidade, confira:

  • No transporte público

Algumas capitais, como é o caso de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, possuem cerca de dois terços de sua frota de coletivos urbanos adaptados, com elevadores e espaço interno preferencial. Em São Paulo, 80% da frota de coletivos é formada por ônibus acessíveis à pessoa com deficiência. Em Curitiba, 93% da frota de ônibus já é acessível.

  • Nos bairros

Entre os bons exemplos de avanços da acessibilidade estão os estádios construídos para a Copa do Mundo e o bairro de Vila Mariana, em São Paulo. O local concentra sinais de trânsito com alertas sonoros, calçadas acessíveis, hospitais e unidades de atendimento a pessoas com deficiência.

  • Nos parques

Com 732 mil m², o parque Vila Lobos, em São Paulo, é um exemplo quando o assunto é recurso de acessibilidade. As canaletas de drenagem, antes pintadas de verde, receberam tinta amarela, tornando-se orientação para os deficientes visuais, enquanto as rampas foram feitas com inclinações sempre inferiores a 5% (elevação de cinco metros a cada cem percorridos).

  • Nos projetos de Licenciamento

Com impacto direto em pessoas com algum tipo de deficiência, a NBR 9050 passou por uma revisão em 2015 que trouxe novas regras sobre acessibilidade nas edificações. Os edifícios já existentes devem se adaptar à nova legislação, mesmo que as medidas sejam razoáveis quando não for possível viabilizá-las economicamente. Melhores práticas serão aplicadas ao espaço físico, no transporte, em instalações e serviços públicos, no ambiente urbano e rural.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *